COMPARTILHE clicando em SHARE

Mostrando postagens com marcador Divórcio. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Divórcio. Mostrar todas as postagens

20140421

Ser feliz ou ter razão


Numa avenida movimentada, um casal já está atrasado para o jantar na casa de amigos. O endereço é desconhecido. Antes de sair, porém, a esposa havia consultado um mapa. Ele dirige o carro, e ela o orienta. Pede para que vire na próxima rua à esquerda. Ele "tem certeza" de que é à direita. Discutem. Percebendo que, além de atrasados, poderão ficar

20131202

O pêlo do leão


Numa aldeia nas montanhas da Etiópia, um rapaz e uma moça se apaixonaram e se casaram. Por algum tempo foram perfeitamente felizes, mas então os problemas chegaram à casa deles. Começaram a ver os erros um do outro nas pequenas coisas – ele a acusava de gastar muito no mercado, ela o acusava de estar sempre atrasado. Não se passava um dia sem uma discussão sobre dinheiro, sobre trabalho doméstico, sobre amigos. Às vezes ficavam tão bravos que gritavam, berravam insultos e iam para a cama sem se falar, o que só piorava as coisas.
Depois de alguns meses ela achou que não aguentava mais aquilo e procurou um juiz velho e sábio para pedir o divórcio.
- Por quê? – perguntou ele. – Há menos de um ano que se casaram. Não ama seu marido?

20130925

O desrespeito das novelas

Como se já não fosse irritante ouvir pessoas repetindo a exaustão bordões copiados de novelas, ainda temos que aturar verdadeiros desrespeitos gratuitos de personagens dos folhetins. Soa até estranho numa época em que tanto se fala em respeito e em que as novelas são usadas para, por exemplo, promover os direitos dos homossexuais. Na novela “Amor à Vida”, de Walcyr Carrasco, o personagem Félix se tornou notório por seus bordões blasfemos, do tipo: “Salguei a Santa Ceia”, “Eu devo ter colado chiclete na Santa Cruz”, “Eu dancei pole dance na cruz!”, “Só posso ter assuado o nariz no Santo Sudário para merecer isso...”.

TUDO TEM UM PREÇO


O preguiçoso mete a mão no prato e não quer ter o trabalho de a levar à boca. Prov. 19:24.

Pedro Lima, amigo de velhos tempos, contou-me que encontrou um camponês – dono de um bom pedaço de terra – sentado, fumando um cigarro de palha e queixando-se de sua terrível situação financeira.

– Aqui dá milho? – perguntou Pedro.

– Dá não, sinhô. – respondeu o camponês, com o seu sotaque típico do interior.

– Dá mandioca?

– Dá não, sinhô.

– Dá soja, feijão, alguma outra coisa?

20130625

AS VIRTUDES DOS OUTROS





Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade. Prov. 5:18.

Todo ser humano é um manancial de onde brota água limpa. Você precisa partir dessa hipótese se deseja ser feliz nos seus relacionamentos.

Por trás de qualquer divórcio, com frequência, encontra-se uma lista infindável de queixas e lamúrias. Quase sempre, a pessoa que relata a história é a vítima e a outra parte, a culpada. Mas a experiência prova que não existe um só culpado. Pode ser que um seja mais e o outro menos culpado, mas ambos têm participação.

O provérbio de hoje fala especificamente do relacionamento matrimonial, embora o princípio possa ser aplicável a qualquer tipo de relacionamento: profissional, social ou familiar.

20121112

Coloquei meu casamento nas mãos de Deus, então por que acabou?

Quem não sonha com um dia de princesa?
Há certas circunstâncias na vida que nos colocam no limite entre a razão e a emoção. E a separação de um casamento é uma dessas circunstâncias. Para muitos cristãos existe uma pergunta que é muito importante: “Se coloquei o casamento nas mãos de Jesus, por que acabou?” E porque essa pergunta é importante? Porque nos faz refletirmos sobre que tipo de ideal Cristo tem para o casamento e que tipo de ideal nós tivemos para o casamento. Que tipo de cônjuge Cristo gostaria que fôssemos e que tipo de cônjuge nós em realidade fomos.

20120903

Está pensando em divorciar? Assista ao vídeo ou leia este texto antes!




Naquela noite, enquanto minha esposa servia o jantar, eu segurei sua mão e disse: “Tenho algo importante para te dizer”. Ela se sentou e jantou sem dizer uma palavra. Pude ver sofrimento em seus olhos.

De repente, eu também fiquei sem palavras. No entanto, eu tinha que dizer a ela o que estava pensando. Eu queria o divórcio. E abordei o assunto calmamente.

Ela não parecia irritada pelas minhas palavras e simplesmente perguntou em voz baixa: “Por quê?”

20120521

16 maneiras de destruir um casamento

1 – Parar de dialogar de maneira aberta e sincera.

2 – Alimentar a ira e ser sempre egoísta, rude e violento(a).

3 – Nunca perdoar seu cônjuge, por menores que sejam os erros dele.

4 – Passar o maior tempo possível deprimido(a) e com pensamentos negativos.

5 – Convencer seu cônjuge de que os filhos são muito mais importantes para você que ele.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...